MP aponta “ação desarrazoada e não republicana”, além de ato de improbidade, na remoção de policiais de Formosa

O titular da sexta promotoria do Ministério Público, Douglas Chegury, aponta “ação desarrazoada e não republicana”, além de ato de improbidade administrativa, na decisão do governador Ronaldo Caiado (DEM) de remover três oficiais da Polícia Militar que trabalhavam em Formosa sem qualquer justificativa ou aviso prévio. Chegury instaurou inquérito civil pública para apurar a motivação desta arbitrariedade.

Os oficiais removidos foram os capitães Luiz Jeová do Couto, Marcelo Rodrigues e o tenente Flávio Rodrigues Pacheco.