Caiado e Gavioli não enxergam educação como investimento social. Para eles, escola pública precisar dar lucro

Goiás vive um momento histórico inédito. Um governador e uma secretária estadual de Educação que não enxergam o aprendizado escolar como investimento social. Para a dupla, as escolas estaduais precisam dar lucro. Foi o que deixou bem claro a secretária Fátima Gavioli, nesta terça-feira, na TV Anhanguera. Ela disse que “escolas com menos de 400 alunos operam no vermelho”. Assim, essas serão sumariamente fechadas. O jornal O Popular mostrou que 18 escolas já foram fechadas.

As palavras de Gavioli nesta terça-feira caíram como uma bomba na comunidade educacional de Goiás. Ela destacou que o reordenamento escolar vai continuar “para promover economia”. “Dirigir uma escola é fazer contas”, disse uma assertiva Gavioli.

Esse reordenamento maluco promovido por Caiado e Gavioli está causando grande transtorno aos estudantes, pais e professores. Alunos que antes estudavam perto de suas residências são surpreendidos com o fechamento da escola e vão ter que se descolar muitos quilômetros para frequentar a nova unidade escolhida por Gavioli.