Para nomear afilhados políticos de Rondônia, secretária forasteira da Educação pressiona professores a voltar para a sala de aula

Continua o clima de terrorismo da secretária forasteira da Educação, Fátima Gavioli, sobre os servidores da pasta. Para abrigar, em cargos de direção da Seduc, os afilhados políticos que importou de Rondônia, Gavioli pressiona professores que estão em funções administrativas a voltar para as salas de aula.

Segundo relatos de servidores, a secretária pressiona até mesmo professores com tempo suficiente para requerer aposentadoria a voltar para as escolas, liberando, assim, os cargos de primeiro, segundo e terceiro escalões na pasta.