Além de corte de salários, Caiado exige produtividade em dobro dos hospitais; sistema esta à beira do colapso

Além dos cortes nos salários dos funcionários, o governador Ronaldo Caiado (DEM) está exigindo que as Organizações Sociais de Saúde (OSS) já atingidas pelas medidas de cortes de despesas aumentam a produtividade. Caiado já disse aos diretores de algumas OSS quer vai dobrar as metas de produção.

A chamada produção hospitalar é medida pela quantidade de consultas, exames e cirurgias, entre outros atendimentos, que uma unidade de saúde produz em um determinado período com uma quantia pré-definida de recursos.

Ao contratar uma OSS, o Estado diz quantos procedimentos a unidade contratada tem de fazer durante o mês, por exemplo. Ao final desse período, a o OSS tem que provar que cumpriu a meta, sob pena de ter de devolver os recursos recursos não utilizados.

Além de reduzir os salários, Caiado disse que vai enxugar também o valor dos repasses. Ou seja, as unidades de sáude terão de fazer o dobro de procedimentos, com menos recursos e médicos, enfermeiros e ténicos ganhando menos.

Economizar recursos públicos é, sem dúvida, uma iniciativa louvável, mas essa fórmula caiadista para a saúde tem tudo para dar errado. Mais uma vez.