Alguma coisa está errada: antes de janeiro de 2019, as crianças não estavam morrendo esperando atendimento

Três crianças já morreram em Goiás neste ano esperando leitos de UTI. O caso mais emblemático foi o do garoto Diogo, que ficou 11 horas no colo da mãe esperando por um leito no Materno Infantil. O curioso é que as mortes começaram depois que Caiado assumiu o governo de Goiás. Antes de janeiro deste ano, não se tinha notícia de caos absurdo no Materno Infantil e mortes acontecendo.

O governador Caiado e o secretário Ismael Alexandrino devem uma resposta convincente à sociedade goiana!