Jornal Opção aponta os 11 “candidatos” mais competitivos para prefeito de Goiânia

O Jornal Opção lista neste domingo (28) 11 possíveis candidatos que seriam ” candidatos competitivos” numa eventual disputa para a prefeitura de Goiânia.

O semanário inclui o nomes que não ainda não foram especulados e não possuem lastro consistente na política de Goiânia, como o vice-governador Lincoln Tejota (Pros), o ex-senador Wilder Morais (DEM) e os deputados federais José Nelto (Podemos) e Zacharias Calil (DEM).

Vela a lista do Jornal Opção:

1 — Adriana Accorsi/PT — A deputada estadual é bem avaliada, mas falta-lhe partido. Petistas dizem, nos bastidores, que se candidata mais para manter o nome em evidência e sugerem que abra espaço para Kátia Maria ou Luis Cesar Bueno. Patrono: não tem, porque, em Goiânia, é o nome mais consistente, eleitoralmente, do partido.

2 — Elias Vaz/PSB — O sonho do deputado federal é ser prefeito de Goiânia. Mas pode abrir espaço para Cristina Lopes, para formar uma nova liderança política na capital. A vereadora também pode ser a sua vice, se deixar o PSDB. Na campanha, Elias Vaz terá de reforçar a imagem de que tem identidade própria. Patrono: o senador Jorge Kajuru (pesquisa assinala que transfere voto, mas resta saber se na proporção que Elias Vaz precisa para ser eleito).

3 — Francisco Júnior/PSD — O deputado federal perdeu a eleição para prefeito em 2016, mas sua campanha, criativa, agradou parte da classe média. Resta saber se conseguirá articular uma frente política que possa torná-lo mais forte, eleitoralmente, do que na disputa passada. Se conquistar o apoio do PP do senador Vanderlan Cardoso e do ex-ministro Alexandre Baldy, dois pesos-pesados da política goiana, se tornará um candidato altamente competitivo. Especialistas propõem que, ao expor suas ideias, seja um pouco mais enfático — não igual, mas próximo do estilo “bad boy” de Kajuru. Patrono: Vilmar Rocha.

4 — Iris Rezende/MDB — Aos 85 anos, o prefeito de Goiânia fala que não, mas quer disputar a reeleição e sustenta que tem quase 1 bilhão de reais para investir em obras (embora seja um mestre das obras inconclusas). A classe média o percebe como um político desconectado da cidade moderna que se tornou a capital. Ele conta com a memória curta dos eleitores, que, se trabalhar entre 2019 e 2020, esquecerão o que não fez entre 2017 e 2018. Pode estar enganado. Os eleitores mudaram. Patrono: o próprio Iris Rezende.

5 — José Nelto/Podemos — O deputado federal está no primeiro mandato em Brasília. É um crítico duro da gestão de Iris Rezende. Frisa que a renovação de 2018 não acabou e vai “atropelar” o emedebista em 2018. Há a possibilidade de uma dobradinha com o candidato do PSL em Goiânia — o Major Araújo. Patrono: o próprio José Nelto.

6 — Lincoln Tejota/Pros — O vice-governador de Goiás ainda não se definiu em qual partido político vai se filiar, mas está de saída do Pros. Se se filiar ao PP, e se quiser ser candidato, o partido o bancará. Patrono: ainda não tem.

7 — Maguito Vilela/MDB — Os emedebistas dados ao racionalismo apostam que o único integrante do MDB que tem chance de ser eleito em Goiás é o ex-governador. Mas ele já disse que, se Iris Rezende for candidato, vai apoiá-lo. Como o alcaide sugere que vai para a reeleição, o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia está fora do páreo. Maguito é o candidato dos sonhos do PP. Patrono: o próprio Maguito Vilela.

8 — Major Araújo/PSL — O deputado estadual deve se filiar ao PSL e, se o fizer, será o candidato do partido a prefeito de Goiânia. Há possibilidade de composição com o Podemos do deputado federal José Nelto, desde que Major Araújo seja o candidato a prefeito. Patrono: Delegado Waldir Soares.

9 — Talles Barreto/PSDB — Deputado estadual mais combativo do momento — conhecido como Sr. Oposição —, o tucano afirma que, se o partido quiser, será candidato a prefeito. Por ser jovem e nunca ter disputado cargo majoritária.

9— Talles Barreto/PSDB — Deputado estadual mais combativo do momento — conhecido como Sr. Oposição —, o tucano afirma que, se o partido quiser, será candidato a prefeito. Por ser jovem e nunca ter disputado cargo majoritário, pode representar a renovação. Patrono: até o momento, não tem.

10 — Wilder Morais/DEM — O secretário da Indústria e Comércio do governo de Ronaldo Caiado deve trocar o DEM pelo Pros para disputar a Prefeitura de Goiânia. Patrono: era Ronaldo Caiado, mas, como não ficará no DEM, pode perder o seu apoio.

11 — Zacharias Calil/DEM — O médico prefere permanecer como deputado federal em Brasília. Mas, se convocado, não dirá “não” ao governador Ronaldo Caiado. Preocupado com o setor de saúde, com várias ideias modernas, pode colocá-las em prática de maneira rápida se for eleito prefeito de Goiânia. Patrono: Ronaldo Caiado.