Prefeitura de Iris anuncia calote histórico em fornecedores. Despesas da gestão anterior só serão pagas no final deste ano e olhe lá…

Goiânia, Imprensa

No jornal O Popular de hoje está o anúncio da prefeitura de Iris Rezende (PMDB): não há previsão de pagamento de R$ 572 milhões de restos a pagar da gestão anterior. O calote foi dado em fornecedores e outros prestadores de serviço. Talvez, lá para setembro, a prefeitura comece a pagar as dívidas.

Projeto presidencial de Caiado fracassa e Palácio das Esmeraldas vira espécie de prêmio de consolo: “Agora vamos tentar o governo”

Goiás, Imprensa

Na noite de segunda-feira (20), numa solenidade de premiação na Câmara de Goiânia, Caiado foi perguntado pelo jornal A Redação se disputaria a presidência da República. A resposta foi categórica. “Não, agora vamos tentar o governo do Estado”. Disputar o governo de Goiás virou prêmio de consolação para Caiado, que costuma aparecer na lanterna das pesquisas presidenciais.

Na CBN, jornalista Fabiana Pulcineli afirma que faltam planejamento e definição de prioridade na prefeitura de Iris

Goiânia, Imprensa

A comentarista afirmou que falta planejamento e um diagnóstico mais global por parte da prefeitura de Iris Rezende. “A prefeitura não vai poder ficar repetindo por muito tempo discurso de que recebeu uma herança maldita, sem anunciar quais medidas vão resolver esses problemas”.

Paulo Garcia dizia que a História faria justiça a ele e está fazendo: é cada vez pior a imagem da sua desastrosa gestão, reconhecida até pelo conservador O Popular como “calamitosa”

Goiânia, Imprensa

Em plena era da informação, que corre acelerada pela internet, a História começa a ser escrita às vezes meia hora após a ocorrência dos fatos. Por isso, Paulo Garcia já foi para a lata de lixo da posteridade, com justiça, como o pior prefeito de Goiânia de todos os tempos. Esse veredito já está dado e nunca mudará.

Na TV Anhanguera, vereadores Elias Vaz afirma: “Constatação é que Iris está patinando”

Câmara de Vereadores, Imprensa

TV Anhanguera exibiu reportagem para falar da presença do prefeito Iris Rezende (PMDB) na Câmara Municipal, na segunda-feira, para prestar contas da administração. O vereador Elias Vaz (PSB) foi ouvido pela reportagem e afirmou: “A constatação é que ele (Iris) está patinando. Não está conseguindo resolver os problemas da forma que a sociedade merece”.

Depois de Kajuru afirmar que Iris gastou R$ 4,6 milhões com publicidade, secretário de Comunicação desmente e diz que foram apenas R$ 370 mil

Câmara de Vereadores, Imprensa

O secretário de Comunicação da prefeitura de Goiânia, Luiz Felipe Gabriel Gomes, desmentiu o que foi divulgado pelo vereador Jorge Kajuru. “Essa informação está longe de ser verdade. Circula por aí, principalmente na internet, que a inserção na TV em horário nobre custa R$ 350 mil, quando na verdade o valor cobrado fica, em média, entre R$ 10 e R$ 15 mil”.

“Eu centralizo tudo”, diz Iris a O Popular. Em um mundo marcado pela inovação, pelo trânsito acelerado das informações e pelas modernas ferramentas de gestão, essa é a pior forma de administração

Goiânia, Imprensa

No mundo moderno, a centralização é uma das piores formas de administração. No fundo, só serve para concentrar os problemas e afastar as soluções. Nesta segunda, a O Popular, Iris Rezende repete mais uma vez, com arrogância: “Eu centralizo tudo”. Eis aí parte da explicação para os problemas que se eternizam na Prefeitura e continuam infernizando a vida dos goianienses.

Jornal Opção: irismo está decepcionado com Andrey Azeredo, que não consegue “controlar” os vereadores

Câmara de Vereadores, Imprensa

Iristas estão irritados porque o presidente da Câmara não consegue controlar os vereadores e está levando um banho de Jorge Kajuru, Paulo Magalhães e Elias Vaz. Quem acompanha as sessões da Casa também fica com essa impressão. Andrey fica sempre com cara de quem não está entendendo nada. Às vezes, costuma dar uma risadinha amarela.

Todo mundo debocha: nas tirinhas de humor do Popular, Katteca faz crítica a Iris Rezende

Goiânia, Imprensa

A lentidão do prefeito Iris Rezende (PMDB) diante dos graves problemas de Goiânia é o assunto do momento na Capital. A coleta de lixo não funciona, o mato alto continua para todo lado e os buracos, então, nem se fala. O humorístico Katteca, em O Popular, debocha da inércia de Iris. Ao ser cobrado pelo personagem Katteca, o político fictício diz que só vai agir depois que o petista sair.

Daniel Vilela não é unanimidade no PMDB para 2018 e grupo de Iris Rezende prefere apoiar Caiado, diz coluna Giro

Eleições, Goiás, Imprensa

O jornalista Jarbas Rodrigues afirma que a ala de Iris Rezende prefere apoiar a candidatura de Ronaldo Caiado ao governo a caminhar com o filho de Maguito. Daniel também é considerado inexperiente e jovem demais para disputar o governo. Uma coisa é certa: o filho de Maguito está longe de unanimidade no partido, como ele imagina.

Ataque de sinceridade: na Tribuna do Planalto, Agenor Mariano diz que a cidade inteira está insatisfeita com a coleta de lixo, com os buracos

Goiânia, Imprensa

O secretário de Planejamento Urbano e Habitação de Goiânia, o peemedebista Agenor Mariano, deu entrevista bem sincera ao jornal Tribuna do Planalto. Ao ser questionado sobre a relação tensa da Câmara Municipal com a prefeitura de Iris Rezende, neste início de gestão, Agenor minimizou e reconheceu há uma insatisfação geral em Goiânia.

Tese do Jornal Opção: a oposição perde sucessivamente em Goiás “não porque se divide, e sim porque não apresenta um projeto de governo consistente”

Eleições, Goiás, Imprensa

Para sua avaliação: a oposição em Goiás perde eleições há 20 anos porque se divide ou, na verdade, porque não apresenta um projeto consistente para a população e prefere gastar o tempo falando mal do governo?. Esta é a pergunta que o Jornal Opção faz neste domingo aos seus fiéis e apaixonados leitores. Veja a resposta.

Jornal Opção: dentro do próprio PMDB, crítica a Iris é que ele “montou secretariado nem político nem técnico, mas simplesmente amadorístico”

Goiânia, Imprensa

Nota na seção Bastidores do Jornal Opção deste domingo revela que há muitas críticas ao prefeito Iris Rezende dentro do próprio PMDB. Uma fonte do partido lamentou o nível do secretariado de Iris, afirmando que os nomes não são técnicos nem políticos, mas simplesmente amadorísticos, para evitar concorrência com dona Iris Araújo, candidata em 2018.

Teles premiadas: no Diário da Manhã, Santa Cruz define Daniel Vilela como “deputado anônimo” e diz que ele “é precocemente antenado com os negócios das multinacionais”

Goiânia, Imprensa

Artigo do polêmico jornalista Carlos Alberto Santa Cruz, no Diário da Manhã deste domingo, tece críticas pesadas ao deputado federal Daniel Vilela, do PMDB, autor do projeto que transfere R$ 100 bilhões em patrimônio público para as operadoras de telefonia. Santa Cruz chama o filho de Maguito Vilela de “deputado apagado” e “alinhado aos negócios das multinacionais”.

Coluna Giro, em O Popular: Daniel Vilela para o governo, em 2018, “não é unanimidade no PMDB”. E há mais: “Ele desperta muita desconfiança pela falta de experiência”

Goiás, Imprensa

A candidatura do deputado federal Daniel Vilela ao governo do Estado, em 2018, enfrenta uma situação complicada, revela a coluna Giro, em O Popular, neste domingo. “Daniel Vilela não é unanimidade no PMDB”, escreve o titular da coluna, Jarbas Rodrigues. E mais: a falta de experiência do filho de Maguito Vilela desperta desconfianças, acrescenta Giro.

Jornal Opção mostra cenário preocupante: prefeitura de Iris ainda não conseguiu entregar as bombas de insulina para todos os pacientes

Goiânia, Imprensa

Os diabéticos estão sem as bombas de insulina e outros insumos que são entregues pelos postos de saúde da prefeitura. A gestão de Iris alega dificuldade financeira. Houve audiência pública na Câmara Municipal para debater o problema. O Jornal Opção acompanhou e entrevistou o presidente da associação que dá apoio aos diabéticos. Ele disse que apenas 70 pacientes serão atendidos nos próximos dias.

Massacre midiático: faz 5 dias que os telejornais do meio-dia só falam do lixo nas ruas de Goiânia, mas Iris não dá nenhuma resposta e não toma nenhuma providência

Goiânia, Imprensa

A maior parte da cobertura dos telejornais do meio-dia está concentrada na questão do recolhimento do lixo em Goiânia, que continua mergulhado no caos, mesmo depois das promessas do prefeito Iris Rezende de resolver a situação em poucos dias. O que está acontecendo na televisão é um massacre midiático, que vai empurrar a popularidade de Iris para baixo – como fez com Paulo Garcia.

Coluna Giro, em O Popular, vira espaço preferencial da campanha de Daniel Vilela a governador: em 2 semanas, ele foi citado 10 vezes, mais que Marconi e Iris

Goiânia, Imprensa

Com uma tropa de assessores de imprensa escolhida à dedo entre ex-jornalistas de O Popular, o deputado federal Daniel Vilela garante mais espaço na coluna Giro mais que o governador Marconi Perillo ou o prefeito Iris Rezende. Só nas duas últimas semanas, Giro citou Daniel Vilela 10 vezes. E atenção para o detalhe: só notas positivas.

Propaganda da Prefeitura repete que “as coisas estão acontecendo, mas, no final das contas, não estão acontecendo”, diz Fabiana Pulcineli na rádio CBN

Goiânia, Imprensa

A repórter de O Popular Fabiana Pulcineli critica a gestão do prefeito Iris Rezende em novo comentário na rádio CBN. Segundo a jornalista, a propaganda que a Prefeitura faz é enganosa, ao mostrar soluções que não aconteceram para problemas que cada goianiense identifica diariamente na porta da sua casa.

Daniel Vilela repete bravata de Vanderlan Cardoso e diz que vai contratar “professores de universidades” para preparar o que chama de “um negócio diferente para Goiás”

Goiás, Imprensa

Daniel Vilela disse ao Jornal Opção que vai buscar “professores de universidades” para formular um “negócio diferente para Goiás” (certamente quis dizer “um projeto”, já que é pré-candidato a governador). Trata-se da mesma estória contada por Vanderlan Cardoso em suas campanhas ao governo, quando dizia que tinha 100 doutores da academia elaborando o seu planejamento. No final, não deu em nada.