Na Sagres, procuradora revela que estado teve rombo de 50 milhões nas contas em maio

A procuradora-geral do Estado, Juliana Prudente, disse à Sagres 730, nesta sexta-feira (31) que o governo não pretende dar um calote na dívida com os bancos públicos federais, pois, ao contrário, reconhece que deve, mas que quer a suspensão temporária do pagamento para ter um fôlego de caixa. O estado deixará de pagar R$ 120 milhões por mês com a medida. Para se ter uma ideia do que isso significa, a procuradora informou que o Estado fechou maio com um déficit de R$ 60 milhões no mês.