“Caiado passa mensagem que está liberada a violência contra os movimentos sociais. É uma ameaça”, diz estudante

“Um oficial da PM que não age de acordo com o padrão operacional foi promovido por merecimento. A mensagem que o governador passa é a de que está liberado descumprir o padrão e soa até mesmo como uma ameaça aos movimentos sociais, oposicionistas, minorias e todos aqueles que reivindicam seus direitos”, diz o estudante Mateus Ferreira à Folha de S. Paulo.

Segundo o jornal, o estudante de Políticas Públicas da Universidade Federal de Goiás afirma que tem como sequelas físicas uma prótese na testa, marcada por uma grande cicatriz; limitações no olfato; e problemas de visão (“uma espécie de sombra que aparece no canto do olho esquerdo”).

Relata a Folha ainda que Ferreira faz questão de ressaltar que seu caso “não é exceção”.

“A violação de direitos humanos por parte da polícia é, de certa forma, recorrente. Mesmo que o Estado seja o grande culpado, o oficial que tem uma posição de chefia tem uma obrigação e uma responsabilidade maiores. Quando você não pune e ainda premia um oficial que fez o que fez, você não dá um bom exemplo”, completou ao jornal paulista.