RRF atinge em cheio os servidores públicos e pode haver demissão em massa,diz presidente da Assembleia

A adesão do governo ao Regime de Recuperação Fiscal da União, segundo o presidente da Assembleia, Lissauer Vieira, pode engessar o Estado e atingir em cheio os servidores públicos, além de comprometer os demais poderes (Executivo e Legislativo) e seus órgãos auxiliares, referindo-se aos Tribunais de Contas do Estado e dos Municípios. Por conta de medidas duras exigidas para o Estado que ingressar no RRF, o presidente da Assembleia prevê a possibilidade de demissão em massa de servidores, corte de cargos públicos e até mesmo tornar até inviáveis os três poderes. “Essas atitudes bruscas podem prejudicar o bom andamento dos trabalhos e todos os poderes acabariam diretamente afetados”, disse, acrescentando que, pelas medidas exigias pelo RRF, o Estado ficaria completamente engessado, sem possibilidade, por exemplo, de investimentos.