Exclusivo: caiadismo quer cabeça de repórter e fotógrafo do Popular em retaliação à foto e legenda de Gracinha descendo de avião de traficantes

O caldeirão está fervendo no caiadismo. A publicação da foto da primeira-dama Gracinha descendo do avião apreendido em poder de uma quadrilha se traficantes irritou o núcleo do poder em Goiás. A reação palaciana é querer a cabeça de Caio Henrique e Diomício Santos. O recado já foi dado à família Câmara.

Em nota publicada na sessão de cartas de O Popular, a Secretaria de Comunicação atacou com extrema virulência a publicação de uma foto da primeira-dama Gracinha Caiado na edição deste sábado, 10, em que ela aparece descendo de um jato de luxo apreendido na Operação Ícarus da Polícia Civil.

Para o governo Caiado, O Popular “insinou”, com a publicação da foto, uma conexão entre os traficantes e a primeira-dama. “Cumpre esclarecer que a insinuação é maldosa e ultrajante”.

“Qualquer tentativa de relacionar o tráfico de drogas e seus esquemas a integrantes desta gestão, e mesmo a mera insinuação de que se esteja fazendo uso desses bens, é uma afronta ao bom jornalismo e ultrapassa os limites da liberdade de imprensa, que precisa ser exercida com responsabilidade”, diz o texto, carregado de ódio.

Com o título “Curiosidade”, a legenda da foto afirma que “A primeira-dama Gracinha Caiado deixa a aeronave Dessault Falcon, apreendida pela Polícia Civil durante a Operação Ícarus, que desarticulou quadrilhja internacional de tráfico de drogas”.

A legenda é meramente descritiva. Se não quisesse ser fotografada saindo ou entrando da aeronave, Gracinha deveria ter evitado a cena. O fato de ela ter entrado no Dessault Falcon simplesmente para conhecê-la é, sim, notícia e, portanto, informação que merece ser publicada. Como diz a legenda, o gesto de Gracinha é de fato curioso, para se dizer o mínimo.

Em nota, a Redação do Popular afirmou que “a legenda descreve o que pode ser constatado na imagem, sem qualquer elemento que possa induzir à interpretação de que a aeronave estava em uso pela primeira-dama”. Ou seja, o que se conclui a partir daí é puro exercício de imaginação.

Leia, abaixo, a íntegra da nota da Secretaria de Comunicação de Caiado e a resposta de O Popular.

NOTA DA SECRETARIA DE ESTADO DA COMUNICAÇÃO:

“Legenda do Giro

A respeito de foto com legenda publicada na coluna Giro de ontem – sábado (10) -, que dá margem à leitura de que a primeira-dama do Estado de Goiás estaria fazendo uso de jato de luxo apreendido na Operação Ícarus da Polícia Civil, cumpre esclarecer que a insinuação é maldosa e ultrajante.

O contexto do registro é uma coletiva de imprensa, em que o governador Ronaldo Caiado e a primeira-dama, juntamente com outros membros do governo, tomaram conhecimento dos bens apreendidos em operação da Polícia Civil que desbaratou uma quadrilha internacional de tráfico de drogas. Os carros de luxo, aviões, helicóptero, joias e milhares de reais apreendidos estão sob a tutela do Poder Judiciário.

Portanto, qualquer tentativa de relacionar o tráfico de drogas e seus esquemas a integrantes desta gestão, e mesmo a mera insinuação de que se esteja fazendo uso desses bens, é uma afronta ao bom jornalismo e ultrapassa os limites da liberdade de imprensa, que precisa ser exercida com responsabilidade.

Secretaria de Comunicação Governo de Goiás.”

RESPOSTA DE O POPULAR:
Nota da Redação: A legenda descreve o que pode ser constatado na imagem, sem qualquer elemento que possa induzir à interpretação de que a aeronave estava em uso pela primeira-dama.