“Grevistas” fajutos na porta da UEG: olha só que gente mais estranha, isso são “universitários”?

A “manifestação” fajuta de um grupo reduzido de pessoas, que se apresenta como alunos e professores da Universidade do Estado de Goiás, na manhã desta quinta-feira, em Anápolis, foi escabrosa.

Olha essa foto aí, na porta da sede da UEG em Anápolis: que povo estranho… Será que são mesmo professores e estudantes universitários?

Pior: queimando pneus, como se fossem quadrilheiros das zonas conflagradas do Rio de Janeiro.

Professores e estudantes universitários precisam queimar pneus para serem ouvidos?

A UEG tem 19 mil alunos e 2.500 professores, a maioria absoluta em aulas, normalmente. Esse grupo de lunáticos insiste em se declarar em “greve” e falar pela UEG, coisa que não tem o menor sentido, mesmo porque o Governo do Estado já atendeu a todas as reivindicações – racionais e sensatas – que foram apresentadas no contexto da universidade.

Esta é uma página negra da história da educação superior em Goiás.