Servidor da AGR acusa presidente Eurípedes Barsanulfo de infringir a lei e de praticar assédio moral contra funcionários

Em mensagem ao WhatsApp ao Goiás 24 Horas, um servidor da Agência Goiana de Regulação (AGR) acusa o presidente do órgão, Eurípedes Barsanulfo, de infringir a lei ao outorgar a uma procuradora – e não a outro conselheiro – o comando da Agência quando ele se ausenta e de assediar moralmente, com impropérios, os funcionários da entidade que ele preside.

Confira na íntegra:
O Conselheiro Presidente da AGR viaja para o exterior e deixa procuradora respondendo em seu lugar e assinando com sua senha no SEI como se fosse ele, enquanto a Lei da Agência determina que na ausência do Conselheiro Presidente um dos membros do Conselho Regulador deve substituí-lo. Tal atitude configura uma flagrante improbidade administrativa e no caso da procuradora com o agravante de que ela é operadora do direito e deveria conhecer as normas vigentes. Isso sem falar no constante assédio moral que os servidores vem sofrendo do presidente que distribui palavrões com se fosse a coisa mais natural do mundo, promovendo uma verdadeiro clube dos horrores em sua gestão na AGR. Gostaria que dessem atenção à está denúncia, obrigado e boa tarde.