Henrique Arantes afirma que geração de empregos não é contrapartida suficiente para benefícios fiscais

O deputado Henrique Arantes (sem partido) afirma que virou lugar comum nos depoimentos da CPI dos Incentivos Fiscais todos os representantes de empresas dizerem que investimentos superam os benefícios fiscais do Fomentar e do Produzir e reclamarem do Protege.

Para o parlamentar, o Protege é importante para o Estado, pois é através dele que são pagos programas como bolsa universitária, jovem cidadão, além de programas sociais, de saúde e de educação.

O deputado não considera válido o argumento de que as empresas oferecem como contrapartida apenas a geração de emprego, pois os custos destes empregos saem muito caro. “O governo poderia pagar estes salários para pagar construção de estradas, pontes, hospitais, escolas e obras que iriam beneficiar o Estadpo”, disse.

Para o parlamentar, segmentos como o da Teuto e da Cargil, não fariam jus aos incentivos fiscais se a contrapartida oferecida for apenas a geração de empregos.