“O próprio Governo é o maior avalista daquilo que a oposição diz”, diz Lucas Calil ao fazer balanço um ano após eleição de Caiado

Um ano da eleição do governador Ronaldo Caiado, nenhum motivo para comemorar. Durante a sessão desta terça-feira (8), o deputado Lucas Calil usou a tribuna para questionar a atuação do novo Governo de Goiás após um ano da vitória de seu pleito.

Em sua fala, Calil evidenciou falhas graves, como o desmonte de políticas públicas, econômicas e sociais, o não pagamento das contas de energia das GOs, as mentiras contadas à população de maneira favorável ao Estado, a falácia em relação às “dívidas crônicas” (conforme palavras da própria secretária de Economia, Cristiane Schmidt) e a farra com cargos públicos.
“Foram R$ 500 milhões arrecadados no Refis, R$ 100 milhões das nossas próprias emendas que foram para o Governo, R$ 2 bilhões a mais no caixa somente neste ano com o fim de alguns incentivos fiscais, R$ 500 milhões a mais com a PEC da Educação, R$ 1,8 bilhões a mais para o caixa com os depósitos judiciais que eu mesmo votei favorável, R$ 300 milhões pegos do fundo do Tribunal de Justiça, o fim dos incentivos da Celg, o fim dos incentivos agora sancionados pelo governador”, elencou ao ressaltar que há, sim, dinheiro em caixa.

A entrada da ex-senadora Lúcia Vânia na equipe de Caiado também foi lembrada. O deputado lembrou que a agora secretária de Desenvolvimento Social integrou a base do governo de Marconi Perillo por muitos anos. “Nada contra a Lúcia, pelo contrário, ela tem uma folha de serviços prestados em todo o Estado, mas acaba com os argumentos da base”, ressaltou, lembrando que deputados que caminham ao lado de Caiado jogam, assim como o próprio governador, que a culpa dos atuais problemas de Goiás é de outros governos.

Por fim, o deputado classificou como “deficiente e deprimente a atual administração pública” e reiterou seu compromisso com a fiscalização das atividades do Governo, da mesma forma com a verdade.