A população está sem entender: onde estão as mudanças tão prometidas na Codego?

O Goiás24Horas publicou ontem matéria revelando que a Procuradoria Geral do Estado de Goiás ingressou com ação contra 25 empresas por rolo na aquisição de áreas no DAIA, todas elas vendidas à valores abaixo do mercado.
Após sucessivos escândalos de corrupção e com a imagem totalmente desgastada, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) mostra que a corrupção em seus quadros é visceral e que as mudanças propostas não passaram de mais uma propaganda enganosa do atual governo.
Após ter seu terceiro presidente em menos de 9 meses (Pedro Salles, hoje presidente da Goinfra, prometeu fortes mudanças que nunca saíram do papel), a impressão que o órgão deixa é de que se beneficia da corrupção e faz questão de manter as condutas ilegais.