Vanderlan e Caiado se autonomeiam o “novo” que a pesquisa Serpes pediu. Um novo bem “velhinho”, hein?

O empresário Vanderlan Cardoso (PSB) e o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) estão mudando de profissão e se transformando em humoristas.

Essa é a única explicação para os comentários que os dois fazem sobre a pesquisa Serpes, na edição desta terça-feira de O Popular.

Ambos declaram que a pesquisa Serpes mostrou que estão no caminho certo, o que seria mais ou menos algo parecido com: “a pesquisa diz que 76,3% do eleitorado deseja um nome novo para o Governo do Estado, então um de nós dois é esse nome novo”.

Qual o quê?

Caiado já foi candidato a governador e até a presidente. Está na política há décadas, repetindo mandatos de deputado federal como eterno representante do setor mais conservador da sociedade – o ruralista. É tão velho quanto a Serra Dourada.

Vanderlan disputou a última eleição para governador, foi abatido no primeiro turno, mudou de partido como quem muda de camisa e até hoje não conseguiu apresentar uma única proposta diferenciada ou interessante para Goiás. Ganha um saquinho do salgadinho Micos quem conseguir apontar uma.

Pior: os dois saíram com índices ínfimos nas consultas estimulada e espontânea, isso em uma pesquisa onde primeiro se perguntou aos entrevistados se desejariam um nome novo para o Governo do Estado e depois é que foram questionadas as opções pelos nomes em evidência, com predominância majoritária dos “velhos” Marconi Perillo e Iris Rezende.

Mas, o socialista e o democrata se consideram como o “novo” e acham que a pesquisa confirmou que eles estão no caminho certo. É a arrogância de sempre, muito natural no perfil de Caiado e cada vez mais forte no comportamento de Vanderlan.

Ou talvez seja apenas uma tentativa de fazer humor.

Humor negro.