“É preciso continuar a fazer filmes em Goiás e não ter que sair do estado para viver de cinema“

O diretor, roteirista e produtor audiovisual, Cristiano de Oliveira Sousa fez duro discurso nesta noite na Assembleia, recheado de graves denúncias.

“Queremos respeito e dignidade. É preciso continuar a fazer filmes em Goiás e não ter que sair do Estado para viver de cinema. O Brasil é o terceiro mercado mais lucrativo do mundo e é preciso respeitar nossa arte. Nos deixem trabalhar em paz e incentivem a cultura”, pediu.

Ele discursou na sessão especial desta terça-feira, 5, para homenagear 57 cineastas goianos em comemoração ao Dia Mundial do Cinema, celebrado anualmente em 5 de novembro. A propositura é de autoria da deputada Adriana Accorsi (PT).