Por incompetência do governo, receita do Estado cai R$ 191 milhões em fevereiro de 2020

A receita do Estado de Goiás teve queda de 7,7% em fevereiro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado (retiradas das deduções). Segundo dados disponíveis no Portal da Transparência a queda foi de 7,02% se considerada a receita total dos vários fatores que contribuem para o resultado. Diferente dos meses anteriores, o período de comparação pode indicar dificuldades na arrecadação para os próximos meses. (VEJA OS QUADROS ABAIXO)

Em fevereiro de 2019, a receita realizada total, sem os descontos, ficou na casa de R$ 2,724 bilhões, somando contribuições, impostos, receitas de serviço e patrimonial, entre outras. Neste ano, no mesmo mês, esta mesma somatória de recursos ficou em R$ 2,533 bilhões. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, e a secretária da Economia, Cristiane Schmidt, tem argumento da necessidade do programa de recuperação fiscal para o governo manter suas contas em dia.

As transferências correntes foram o item de maior queda , com redução de R$ 210 milhões. Impostos, taxas e contribuições de melhoria tiveram queda de R$ 140 milhões em valores correntes. As receitas de capital apresentaram declínio de 88%. Em contrapartida, receitas intraorçamentárias mais que dobraram e a receita de serviços também cresceu.

Quando calculadas as deduções, o valor caiu de R$ 2,034 bilhões para R$ 1,877 bilhão este ano. São R$ 156 milhões a menos, o que representa queda de 7,71%. É este o valor que o Estado terá em caixa para utilizar durante o mês.