Procurador Ailton Benedito sugere que mulher não morreu de coronavírus em Goiás

O procurador da República do Ministério Público Federal de Goiás (MPF-GO) Ailton Benedito, que é secretário de Direitos Humanos da PGR, fez postagens no Twitter questionando medidas restritivas dos governadores para conter o coronavírus, que tem chamado de “vírus chinês”. Nesta quinta-feira (26), após confirmação da primeira morte em Goiás, ele sugeriu, em publicação, que a mulher de Luziânia não morreu por coronavírus.

Ao compartilhar a postagem do governador Ronaldo Caiado (DEM), que anunciou o óbito, o procurador escreveu: “Muito triste a morte dessa senhora. Que Deus conforte a família. Aos 66 anos, hipertensa, com diabetes, doença pulmonar obstrutiva crônica, teve dengue recentemente, foi o #CoronaVírus que a matou?”.

A mulher em questão, de 66 anos, teve o diagnóstico para coronavírus confirmado em exame na noite de quarta-feira (25). Como o estado era grave, ela foi levada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital de Doenças Tropicais (HDT), em Goiânia, onde acabou morrendo.