Lêda Borges apresenta propostas para minimizar efeitos da pandemia

Diante da pandemia do coronavírus a deputada estadual Lêda Borges (PSDB) encaminhou, durante a sessão extraordinária on-line realizada pela Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 25, vários projetos em que propõe ao Governo estadual adoção de medidas para evitar impactos na população.

Em uma das propostas, a deputada solicitou que o Governo estadual dê atenção especial na luta contra o coronavírus na região do Entorno de Brasília. Segundo ela, as cidades são geograficamente muito próximas e possuem muitos habitantes, o que gera necessidade de maiores cuidados. A parlamentar, durante a sessão extraordinária da Assembleia Legislativa, realizada na tarde desta quarta-feira, 25, hipotecou apoio ao Governo de Goiás pelas medidas adotadas.

Lêda Borges elogiou as ações do governador Ronaldo Caiado (DEM) no enfrentamento da pandemia da Covid-19, mas ressaltou a necessidade de atenção redobrada aos municípios do Entorno devido aos riscos aos quais os moradores estão submetidos. Conforme a parlamentar, não se sabe de fato quantos casos de infecção a região possui, já que muitos pacientes podem ter recorrido a hospitais de Brasília.

“São cidades muito próximas, conurbadas e de geografia peculiar. Precisamos realmente ter a certeza se já não há casos de goianos em tratamento no Distrito Federal. Por isto, é preciso união entre os governos de Goiás e DF para investigar se todos os casos estão sendo repassados para Goiás”, disse.

A parlamentar também solicitou que parte dos R$ 10 milhões doados pela Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) para o Fundo de Combate ao coronavírus seja destinada à região do Entorno, onde foi registrada a primeira morte em razão da doença e a contaminação comunitária, em Luziânia e Valparaíso, respectivamente.

“Precisamos dar atenção especial à região do Entorno. A doença é algo muito sério, que se prolifera rapidamente. Precisamos de ações de prevenção e combate ao vírus, bem como estrutura para atender pacientes diagnosticados com a Covid-19”, salientou.