Ignorada por Caiado, Fieg apresenta ao PR, MT e Aparecida aplicativo que garante reinício seguro dos negócios

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) elaborou um plano estratégico destinado a balizar o retorno das atividades produtivas dos diversos segmentos da economia, interrompidas para conter o avanço da Covid-19. Nesta quarta-feira (15/4), por meio de videoconferência, uma equipe da Fieg apresentou o plano ao governo do Paraná, da Prefeitura de Aparecida de Goiânia e da Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso.

“Vamos ajudar aqueles que querem fazer a retomada com responsabilidade, sem qualquer custo, exatamente para ajudar a salvar vidas e também os empregos e garantir aos pais de família o sustento de suas casas. A plataforma visar aliar a saúde, em primeiro lugar, mas com a economia também funcionando, senão as mortes no futuro, pós-corona, serão muito mais elevadas do que durante o coronavírus”, enfatizou o presidente da Fieg, Sandro Mabel.

A plataforma já havia sido apresentada aos governos federal, do Estado do Ceará e da cidade de Campo Grande (MS) e está em processo de avaliação para sua aplicação nesses locais. A Fieg investiu cerca de R$ 1,5 milhão na elaboração do projeto, idealizado pelo presidente, Sandro Mabel, e vai disponibilizá-lo gratuitamente às autoridades competentes que desejarem utilizá-lo.

“Fiquei encantado com a solução apresentada pelo IEL Goiás. Nossa equipe também gostou muito, elogiou bastante a plataforma e vamos discutir toda a situação com o governador para termos uma definição o quanto antes”, salientou o presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento, Eduardo Bekin, que representou o governo paranaense, ao lado de Raul Siqueira, controlador-geral do Estado; Valdemar Bernardo Jorge, secretário do Planejamento e Projetos Estruturantes (SEPL); Leandro Moura, presidente da Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar); Nestor Werner Junior, diretor-geral da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa); e Wilson Bley Lipski, presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Além da equipe de governo, também participaram da reunião, na manhã desta quarta-feira, representantes da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). “Parabéns ao IEL Goiás pela iniciativa. A plataforma é fantástica e, se o Governo do Paraná decidir implantar este projeto aqui, a Fiep é parceira e estará ao lado para tudo que for preciso”, afirmou o presidente da Fiep, Carlos Walter.

APARECIDA DE GOIÂNIA
A plataforma desenvolvida pela Fieg também deixou boa impressão nos representantes da prefeitura de Aparecida de Goiânia, que participaram de videoconferência com representantes da Federação na parte da parte.

“Gostamos bastante da plataforma. Já estamos fazendo o regramento para ser utilizado e estamos esperando a tomada de decisão (do governo). Queremos voltar com segurança e esta é uma ferramenta que pode nos ajudar muito”, afirmou o secretário de controle interno da prefeitura de Aparecida de Goiânia, que estaca acompanhado por uma equipe que vem trabalhando nas questões relacionadas às medidas de prevenção ao Covid19 na cidade.

MATO GROSSO
No início da noite, a equipe da Fieg apresentou o projeto a representantes da Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso, que também aprovaram a ferramenta. “É uma belíssima iniciativa da Fieg. A plataforma tem muita aderência com o modelo que estamos pensando aqui (em Cuiabá). Muitos municípios estão tomando decisões sem critério técnico e está virando um imblóglio jurídico. Vou levar essa ideia com a equipe da prefeitura de Cuiabá amanhã para ser avaliada”, salientou o presidente da Fiemt, Gustavo de Oliveira.

O QUE É A PLATAFORMA
Parte do Projeto para Retomada Responsável dos Negócios, uma plataforma responsiva foi desenvolvida pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL Goiás), uma das entidades que integram o Sistema Fieg. Ela é usada por meio de telefone celular, desktop, tablet e notebook e estabelece protocolos sanitários necessários à saúde e segurança no ambiente de trabalho, cruzando informações cadastrais das empresas com dados das

Secretarias de Saúde para a liberação do retorno ao trabalho mediante o cumprimento de exigências das autoridades de saúde.

O sistema permite que as empresas possam ter autorização de funcionamento de sua atividade econômica por meio de um termo de compromisso, que deve ser impresso e assinado. Nesse documento, a empresa tem de atender a uma série de requisitos sob pena de sofrer sansões determinadas por lei, caso os mesmos não sejam cumpridos. O empresário deve acessar o sistema, fornecendo um e-mail previamente cadastrado e o CNPJ de sua empresa. O programa filtra a atividade econômica, a região e a operação de acordo com a permissão determinada pelo governo do Estado em conjunto com entidades empresariais.

Após a validação de todos os dados, se a empresa se enquadrar nos parâmetros, será disponibilizado para impressão o termo de compromisso personalizado e que deve ser assinado pelo responsável e afixado em local visível.