Não foi apenas a briga com Bolsonaro que fez popularidade de Caiado despencar. Doria rompeu, mas não caiu

É fato: não foi apenas o rompimento com o presidente Jair Bolsonaro a causa da queda vertiginosa da popularidade do governador Ronaldo Caiado nas redes socias. Tanto é verdade que o governador João Doria, de São Paulo também rompeu com Bolsonaro, mas não perdeu os seus índices de popularidade.

É claro que a crise com o presidente afastou eleitores da direita e da extrema-direita, mas também contribuíram para a queda de Caiado a postura autoritária de coronel, a paralisia do governo do estadual, os buracos espalhados nas rodovias e o arrocho impiedoso aos servidores públicos, com uma série interminável de maldades que culminou com o aumento do desconto previdenciário dos aposentados e pesionistas.

De quebra, Caiado ainda comprou briga com os empresários e ganhou a pecha de estar desindustrializando a economia goiana – e, por consequência, gerando desemprego em massa.

Pior, impossível: como disse a jornalista Cileide Alves no artigo deste sábado (9) no Popular, a realidade definitivamenre está batendo à porta do governador de Goiás para cobrar a fatura.