Com novo decreto de Caiado, bares e restaurantes preveem demissões e falência em massa

A situação de bares e restaurantes em Goiás é muito complicada. Proibidos de funcionar normalmente há mais de 50 dias, o segmento se vê à beira do caos com a chegada de mais um decreto radical do governador Caiado. Matéria do site especializado “Empreender Goiás” informa que os donos e empresários preveem demissões e falência em massa na categoria, com este novo decreto caiadista.

Presidente da seção goiana da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Fernando Jorge, diz que a intenção manifestada pelo governador Caiado de endurecer as regras de isolamento nos municípios chega em um momento ainda mais delicado para o setor. “Muita gente que se preparou para atender em delivery, drive thru ou takeaway, comprando estoque nos últimos dez dias. Eles podem perder o resto de capital de giro que tinham, porque são produtos altamente perecíveis”, explica.

A entidade estima que cerca de 3 mil empresas baixem as portas definitivamente no Estado, o que resultaria na demissão de 12 mil trabalhadores. Segundo Fernando Jorge, as linhas de crédito anunciadas pelos governos federal e estadual foram “para inglês ver”. “A burocracia é muito grande, os bancos sabem das dificuldades dos empresários e dificultam o crédito. O dinheiro não chega na ponta, que é o empresário”, afirma.

Veja aqui a matéria completa