(EXCLUSIVO) Grupo Jaime Câmara pressiona Caiado a gastar com propaganda em plena pandemia da Covid-19

A abertura licitação pelo governo de Goiás para gastar com publicidade em plena pandemia do coronavírus foi solicitada por entidades da área de comunicação por articulação do Grupo Jaime Câmara (GJC).

O documento que institucionalizou a pressão do GJC ao governador Ronaldo Caiado (DEM) foi assinado pela Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), Associação Goiana de Rádios Comerciais (Agora) e Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Estado de Goiás (Sert-GO).

O articulador do movimento de pressão a Caiado é o presidente do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Estado de Goiás, Guliver Augusto Leão, que vem a ser o diretor Jurídico e de Relações Institucionais do GJC. A empresa está demitindo jornalistas em massa.

A pressão é para que Caiado retome o processo de licitação de publicidade, já que o edital de concorrência lançado em 2019 foi anulado.

O documento alerta que o contrato de serviços de publicidade, firmado com a secretaria estadual de Comunicação (Secom), venceu no último mês de abril.

O cancelamento da nova licitação de publicidade, e a falta de previsão para sua retomada, segundos as entidades, “colocaria em risco os veículos comunicação que se planejaram para participar do edital”.

Em tom de ameaça, Guliver Augusto Leão argumentou que os veículos de comunicação têm o poder de alcançar dezenas de municípios, lembrando opoder de fogo da imprensa.

“Investir em campanhas e publicidades de caráter de orientação social é a melhor maneira de atingir diversos públicos e estabelecer uma conexão real com o cidadão”, sublinhou.