(Exclusivo) Caiado abre nova crise na PM ao obrigar soldados a fazer prova para ascender à 1ª classe

O governador Ronaldo Caiado acaba de abrir uma nova crise na Polícia Militar de Goiás. A polêmica da vez tem a ver com a ascensão profissional dos soldados. Vale destacar que Caiado não cumpriu integralmente a promessa de campanha de unificar a classe de soldado. Continuam existindo duas classes na PM goiano. Agora vem a crise: os militares que atingiram o tempo na 2ª classe terão que passar por uma prova, o TAP (Teste de Aptidão Profissional) para ascender à 1ª classe, onde o salário é maior.

A evolução para a 1ª classe não será automática. Assim, Caiado decepciona mais uma vez a categoria. Quem ganha R$ 5,7 mil como soldado de 2ª classe terá que fazer uma prova e ser aprovado para chegar ao “topo”, que é a 1ª classe, onde ganham R$ 6,3 mil.

O 24Horas conversou com alguns militares e todos disseram estar “decepcionado” com o governador. “Só conosco, o Caiado acaba de não cumprir a segunda promessa. Primeiro, ele prometeu unificar a classe, o que não aconteceu, porque continuaram com duas. Agora, a ascensão dentro da classe de soldado não será automática. O militar terá que ser aprovado no TAP para ir à 1ª classe. Ou seja, é mais uma traição dele com a Polícia Militar”, disse um policial ao 24Horas.

Acesse aqui a lista dos inscritos no TAP de 2020