Enquanto Goiás bate recordes diários de covid-19, Caiado se omite e passa os dias em lives e entrevistas

Apesar da escalada da Covid-19 em Goiás, que registrou 418 novos casos nas últimas 24 horas, o estado não chegou ao pico da transmissão. Segundo a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde, Flúvia Amorim, o Centro de Operações de Emergência que conta com participação da Universidade Federal de Goiás (UFG) espera que o pico deve ocorrer somente em meados de julho.

A superintendente falou ao Jornal Opção sobre esse recorde diário de casos. “Na verdade, muitos municípios estavam demorando a colocar os dados no sistema, e temos feito um trabalho de conscientização sobre a necessidade de atualização dos dados. Isso pode ter gerado esse aumento na planilha de terça, quando muitos municípios lançaram as informações pendentes”, explica.

No entanto, Goiás pode viver dias em que o número de casos diários seja até maior do que o observado nesta terça-feira. Flúvia destaca que as projeções da UFG levam em conta a diminuição do isolamento social para desenhar os três cenários possíveis para a curva da pandemia em Goiás. “Hoje infelizmente estamos entre cenário vermelho [pior cenário] e o verde [cenário intermediário]. O ideal seria estarmos entre o cenário verde e o azul [melhor cenário]”, encerra.