CPI do Transporte Coletivo é arquivada por debandada de dois deputados

O requerimento para criar a CPI do Transporte Coletivo na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) foi arquivado nesta quarta-feira (10) por não ter o mínimo de 14 assinaturas.

O requerimento apresentado pelo deputado Estadual Delegado Eduardo Prado contava com as assinaturas dos deputados Alysson Lima, Amauri Ribeiro, Del. Adriana Accorsi, Del. Humberto Teófilo, Chico KGL, Hélio de Sousa, Iso Moreira, Jeferson Rodrigues, Rafael Gouveia, Talles Barreto, Leda Borges, Major Araújo, Wilde Cambão e Zé Carapo. No entanto, dois deputados retiraram a assinatura.

Conforme regimento, sem o número mínimo de assinaturas o requerimento não é apreciado e automaticamente encaminhado para arquivo.

Segundo Prado, é lastimável o arquivamento desse requerimento, pois com a instauração da CPI seria possível investigar os motivos para o péssimo serviço prestado pelo transporte público de Goiânia, que foi acentuado com a pandemia.

“Acredito que houve uma pressão para que os dois parlamentares retirassem as assinaturas. Infelizmente, não temos governantes com pulso firme para enfrentar os empresários do transporte público que desprezam os cidadãos goianos”, lamenta Prado.