Valentina Jungmann quer paridade de gênero nas eleições da OAB

O presidente nacional do Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, recebeu a proposta de paridade de gênero nas eleições do sistema OAB na última segunda-feira, 22.

A proposta é da conselheira federal da OAB (GO), Valentina Jungmann, e prevê o atendimento de percentual de 50% para candidaturas de cada gênero.

A nova regra também seria aplicada para os cargos de diretoria do Conselho Federal, dos Conselhos das Seccionais, das Subseções e das Caixas de Assistência.

Valentina Jungmann argumenta que a participação das mulheres em cargos de diretoria da OAB acompanha um processo de “evolução natural”, visto que a presença feminina já é maioria em várias seccionais e maioria entre as estagiárias e estudantes, por exemplo.

Além disso, segundo ela, é o momento de ampliar a democracia interna da entidade.

Com a proposta de Jugmnnan, uma chapa só poderia concorrer à diretoria da entidade caso tivesse a chamada paridade, ou seja, 50% de homens e 50% de mulheres entre os componentes.

“Enquanto uma das pioneiras da OAB, na década de 1990, senti necessidade de mais mulheres participando na direção. A partir de uma palestra que apresentei em Fortaleza, tirei a ideia da paridade. A partir de então, juntamos um grupo de mulheres advogadas e trocamos ideias para que o projeto saísse mais robusto”, explica.

“É muito importante para a nossa instituição. Quando temos uma paridade, legitimamos um regime democrático de forma interna. É chegada a hora da OAB avançar neste sentido”, arremata.