TRE admite candidatura de Dra. Cristina e concede tempo de TV

Poucos minutos antes das 20h desta segunda-feira, 28, o julgamento do recurso da coligação Para Goiânia Seguir Em Frente foi finalizado. A decisão impugnou o DRAP (Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários) da chapa liderada por Maguito Vilela (MDB), retirando o Partido Liberal da coligação. Conjuntamente com a ação também foram julgados outros dois recursos: o DRAP do Partido Liberal e o RRCI (Requerimento de Registro de Candidatura) da candidata Dra. Cristina (PL).

Em votação unânime, a corte concedeu o tempo de TV e Rádio à candidata Dra. Cristina em caráter imediato, em detrimento da coligação liderada pelo MBD. Os magistrados também cassaram a decisão do juiz de primeiro grau, Wilson da Silva Dias, que indeferia o registo de candidatura de Dra. Cristina.

Mesmo com os magistrados entrando em acordo de que houve erro no julgamento anterior, o ordenamento jurídico não permite que instâncias do Judiciário sejam suprimidas. Desta feita, o DRAP do Partido Liberal e o RRCI de Dra. Cristina (PL) voltam à instância de primeiro grau a fim de que sejam devidamente processados e julgados em instância inferior.

Na prática, a decisão tem efeito imediato e reconhece como legítima a convenção que aclamou Cristina candidata à prefeitura de Goiânia. Com a exclusão do PL da coligação liderada pelo MDB, mais de 36 segundos de televisão serão retirados da campanha emedebista e destinados à candidatura de Dra. Cristina.

A advogada Nara Lopes Bueno comemorou a decisão afirmando que se trata de uma “vitória das mulheres, da justiça e uma grande correção da distorção de violência política”.

A candidata Dra. Cristina (PL) também comemorou com emoção o acontecimento. Em vídeo publicado em suas redes sociais, a vereadora afirma: “estou aqui para servir as pessoas dessa cidade e não me servir da política”.

PROGRAMAS DE TV e Rádio

Dra. Cristina já havia se prevenido e deixado seus programas de TV prontos para irem ao ar, em caso de decisão favorável. Em seu primeiro programa, a candidata deve resgatar a linha do tempo desde a sabotagem que sofreu. Ela acredita que essa estratégia vai contextualizar o eleitor dos motivos que a levaram a entrar tardiamente na programação de Propaganda Eleitoral Gratuita, favorecendo seus adversários.

A candidata também enxerga que o tempo de TV será fundamental para seu crescimento nas intenções de voto: “tivemos menos tempo de campanha oficial que os demais candidatos, mas agora vamos entrar no ar e a população saberá qual a candidata que se diferencia dos demais por não jogar sujo”.