Justiça mantém bloqueio de ação que investigava Padre Robson

Desembargadores da 1ª turma da Câmara Criminal de Goiânia decidiram, na terça-feira (27), manter o bloqueio da ação que investigava padre Robson de Oliveira por suposto desvio de dinheiro ofertado por fiéis à Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). O padre, que administrava o Santuário Basílica de Trindade, sempre negou as acusações do Ministério Público de Goiás. Os magistrados mantiveram o entendimento de que não há crime na conduta da entidade e justificaram que as provas apresentadas não são novas.

O Ministério Público de Goiás informou em nota que irá recorrer, com todas as medidas cabíveis, da decisão da 1ª Câmara Criminal do TJ-GO que manteve o trancamento das investigações no âmbito da Operação Vendilhões. Entre as medidas está a interposição de recurso especial ao Superior Tribunal de Justiça.