“É uma covardia sem tamanho”, diz Roberto sobre acusações sem provas feitas por adversários

Veja matéria do Jornal Opção:

Na última semana, a eleição em Anápolis tomou um rumo inesperado pra muita gente. A virada eleitoral do atual prefeito e candidato Roberto Naves (PP) sobre seu principal adversário, o ex-prefeito Antônio Gomide (PT), transformou a reta final do primeiro turno em um verdadeiro “show de horrores” por parte dos candidatos de oposição.

No último debate, promovido pela rádio Manchester FM, todas as armas foram apontadas para Roberto, com acusações de todos os tipos sem quaisquer provas apresentadas. E as ilações não ficaram apenas no campo administrativo. Os ataques pessoais feitos pelo candidato Valeriano Abreu (PSL) ao atual prefeito deixam claro o objetivo do candidato em atingir o primeiro colocado nas pesquisas e criar um factóide para tentar alterar o cenário eleitoral.

Em entrevista ao Jornal Opção, questionado sobre o assunto, o prefeito classificou os ataques como uma estratégia suja de campanha dos adversários e chamou o ato de covardia. “Eu tenho um apartamento onde eu moro há muitos anos e quando veio a pandemia, minha mãe, que tem problemas de saúde, alugou uma chácara pra ficar durante esse período e eu levei minhas filhas pra lá pra ficarem com a vó. O imóvel foi alugado por ela na imobiliária. É uma covardia envolver família pra fins eleitorais. É uma covardia sem tamanho”, disse o prefeito.

A explicação trata-se da acusação feita pelo candidato do PSL de que o prefeito estaria morando em uma chácara que pertence ao empresário Georges Hajjar, que através da sua empresa forneceu cestas básicas para a Prefeitura durante a pandemia. Sobre isto, o Jornal Opção apurou o caso e constatou que a aquisição das cestas básicas foi feita através de um procedimento administrativo legal, registrado sob o número 17036/2020, onde a Prefeitura solicitou orçamentos de empresas de todo o Estado que teriam interesse de fornecer os produtos de forma imediata, dada a urgência da compra devido ao aumento das pessoas em estado de vulnerabilidade causado pela pandemia. Ao final, declarou-se vencedora a empresa que apresentava a proposta mais vantajosa.

Além desta, diversas outras acusações sem provas foram feitas durante o debate e têm se intensificado também durante o Horário Eleitoral Gratuito, onde os adversários de Roberto usam grande parte do seu tempo para proferir seus ataques à atual administração. Alguns veículos de imprensa locais sugerem que, com o crescimento dia-a-dia de Roberto nas pesquisas, existe a possibilidade real de não haver um segundo turno, o que segundo eles seria o motivo principal do chamado “todos contra um”. Na última pesquisa SERPES divulgada no sábado (31), Roberto aparece em primeiro com 30% das intenções de voto contra 28% de Gomide. Na projeção estimulada do segundo turno, Roberto venceria com 44% dos votos contra 37% do petista.