Às vésperas das eleições, Aparecida comemora 57 anos de emancipação política

Uma casualidade até então inimaginada vai fazer dos 57 anos de emancipação política de Aparecida bem mais do que um feriado municipal. A data comemorativa, celebrada neste sábado, 14 de novembro, coincide com a véspera das eleições municipais. Normalmente, o pleito ocorre no mês de outubro, mas neste ano, em função da pandemia da Covid-19, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) marcou o primeiro turno para o dia 15 de novembro.

Essa é a primeira vez, desde 1990, em que o feriado de Emancipação Política de Aparecida acontece na véspera de um primeiro turno de eleição para prefeito e vereadores.

Na análise do prefeito e candidato à reeleição, Gustavo Mendanha (MDB), a coincidência nas datas deve ser encarada pelo eleitor como momento para profunda reflexão antes de comparecer às urnas neste domingo. “O voto é a ferramenta mais prática e efetiva que o eleitor tem para decidir o futuro da cidade. Portanto, essa decisão deve ser tomada com muita cautela. O eleitor precisa estar consciente e conhecer bem o histórico de seus candidatos”, diz Gustavo.

Como candidato à reeleição, Gustavo Mendanha se considera pronto para o desafio de gerir Aparecida nos próximos quatro anos. Para ele, a maior prova de sua capacidade como prefeito é a avaliação positiva da população sobre o trabalho desempenhado por ele na atual gestão.

A inauguração do Hospital Municipal de Aparecida, o Hmap; a construção de dezenas de Unidades Básicas de Saúde (UBSs); a implementação de quase 100 praças de esportes e lazer; a pavimentação de mais de 30 bairros; e a criação de 5.600 vagas na rede de ensino municipal são apontados por Gustavo como alguns dos principais feitos de sua administração na Prefeitura.

Gustavo Mendanha elege o enfrentamento à Covid-19 como um dos desafios mais complexos que ele enfrentou entre vários momentos nos quais sua capacidade de gestão foi provada. “Tem sido um momento, claro, de muita pressão, até mesmo pela relevância do cargo de prefeito. Mas nossa capacidade de diálogo com a sociedade, a comunidade científica, o setor produtivo, o Estado, a União, e até com outras nações, como China e Israel, foi determinante para o sucesso que alcançamos no combate a essa terrível doença”, comenta o candidato.

O emedebista lembra que Aparecida adotou, com algumas adaptações, o modelo israelense de escalonamento regional das atividades econômicas. Por isso, segundo ele, o município pôde controlar mais rapidamente a disseminação da Covid, e foi um dos primeiros em Goiás a permitir a reabertura responsável do comércio e da indústria.

Para Gustavo, a criação de 130 leitos exclusivos para Covid no Hmap e os mais de 141 mil testes RT-PCR já realizados na população também explicam a boa desenvoltura do município para atenuar a crise sanitária. “Nós agimos proativamente para neutralizar o máximo possível os efeitos da Covid-19. E os números mostram que a nossa estratégia deu certo. Quem acompanha a gestão desde o início sabe que a minha diretriz para o secretariado é justamente essa: de agir para construir, para criar, para fomentar e não simplesmente para resolver os problemas.”

O prefeito Gustavo Mendanha acredita que, com 57 anos de emancipação política, Aparecida pode ser considerada hoje uma cidade de democracia sólida e forte, que tem o poder público e as instituições funcionando em harmonia. No entendimento de Gustavo, Aparecida se destaca no plano político também pela participação dos moradores no dia a dia da administração pública, dialogando tanto com o prefeito e os secretários quanto com os vereadores.

Às vésperas das eleições, Gustavo se diz confiante na resposta dos eleitores ao trabalho que ele realizou nos últimos quatro anos. O candidato pede a oportunidade de um novo mandato para completar o ciclo de inovações em Aparecida visando a tornar o município uma cidade inteligente, que usa a tecnologia para melhorar o acesso do cidadão aos serviços públicos.

“Estou otimista pelo trabalho que realizamos nos últimos quatro anos e pela sensação que os eleitores passam para nós neste nosso contato nas ruas. Com muita humildade, claro, nós temos trabalhado e seguimos atuando na campanha para ter acesso às pessoas, defendendo o nosso legado e apresentando nossas propostas”, conclui Gustavo Mendanha.