“Eles querem voltar a dobradinha que levou Goiânia ao atraso”, diz Vanderlan sobre parceria entre PT e MDB

“O PT e MDB fizeram uma dobradinha, neste 1º turno, para me atacar. O ataque sincronizado do MDB dos Vilela e do PT mostra que já estava acertado nos bastidores uma dobradinha dos dois partidos para o 2º turno”, afirmou Vanderlan Cardoso em entrevista às Rádio Paz e Vinha FM nesta terça-feira, 17/11.

O candidato relembrou que o prefeito Iris Rezende (MDB) decidiu voltar a ser candidato em 2016 para resgatar Goiânia, depois da administração de Paulo Garcia, do PT, que deixou a prefeitura com quase R$ 1 bilhão de dívidas e um grande déficit. “Eles querem voltar a dobradinha que levou Goiânia ao atraso”.

Para Vanderlan, as parcerias são importantes, desde que existam ideias voltadas para o desenvolvimento da cidade. “Parcerias nós teremos, sim. Já temos conversado com o Allysson Lima (SD), Virmondes Cruvinel (Cidadania), Dra. Cristina (PL) e o Gustavo Gayer (DC), ex-candidatos que podem ter interesse em caminhar conosco nessa proposta de fazer Goiânia avançar”.

Outro ponto que o candidato da Coligação Goiânia em um Novo Momento acredita ser importante avaliar é a abstenção, que foi alta no primeiro turno. “Temos de fazer um trabalho para que o eleitor exerça o direito à cidadania. É uma eleição muito importante, que define os próximos quatro anos da nossa capital. É hora de fazerem a avaliação dos candidatos e das propostas”, concluiu Vanderlan.

A coligação Goiânia em um Novo Momento é composta por sete partidos, incluindo o PSD, que encabeça a chapa: PSD, PSC, Democratas, Progressistas, PTB, PMN e Avante. Lideranças do MDB, Solidariedade e outras legendas também integram o time liderado por Vanderlan Cardoso e Wilder Morais.