Bolsonaro diz que não é obrigação do governo levar oxigênio para o Amazonas

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado (30) que não é atribuição do governo federal levar oxigênio para o Amazonas. De acordo com o presidente, o governo enviou recuros financeiros para o estado enfrentar a crise causada pelo avanço da pandemia de Covid-19.

“Não é competência nossa e nem atribuição levar o oxigênio para lá. Demos os meios”, afirmou Bolsonaro. O presidente disse ainda que os cilindros chegaram seis dias após o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ter sido informado sobre a urgência do caso.

“Ele ficou sabendo na sexta-feira do problema do gás e na segunda foi a Manaus, na terça programou tudo e na quarta começou a chegar o oxigênio com aviões da força aérea e por balsas”, rebateu Bolsonaro.

Pazuello é alvo de investigação sobre possível omissão do Ministério da Saúde diante da crise de abastecimento de oxigênio em Manaus. O ministro chegou a enviar 120 mil unidades de hidroxicloroquina para a capital amazonense e chegou a atribuir o aumento do número de casos de doente à falta de uso de um suposto “tratamento precoce”, com uso do remédio que não tem eficácia alguma contra a Covid-19.

O governo federal transferiu 335 pacientes de Manaus para serem tratados em outros estados, inclusive para Goiás.