Projeto que cria batelada de cargos comissionados no MP Estadual pode esbarrar em Claudio Meirelles

O projeto encaminhado em sigilo pelo Ministério Público Estadual à Assembleia Legislativa, no início de julho, criando mais de uma centena de cargos comissionados na instituição e aumentando consideravelmente os salários de outros, pode enfrentar uma reviravolta.

O deputado Claudio Meirelles (PR) já informou que pretende ou ser designado relator da matéria na Comissão Mista ou requerer vistas, caso a relatoria lhe seja negada.

Claudio Meirelles é tradicional desafeto do Ministério Público Estadual e um dos deputados estaduais mais críticos em relação à instituição.Quando foi presidente da Câmara Municipal de Goiânia ele foi processado pelo MP e considera que foi vítima de uma grande injustiça – a sua continuidade na carreira política esteve por um fio.

Consta que o deputado recebeu informações de membros do MP Estadual no sentido de que o projeto criando cargos comissionados no órgão não é aprovado pela unanimidade dos promotores e procuradores. Parte dos membros do “parquet” – como eles gostam de ser chamados – entende que trata-se de um desgaste desnecessário, que tira a credibilidade do MP para questionar a tradicional farra de cargos comissionados em outros entes públicos.