Gedda defende, na tribuna da Assembleia, farra de vôos de Alcides e a mulher Raquel

O deputado Francisco Gedda (pronuncia-se com o ‘e’ aberto) andava sumido, mas reapareceu nesta quinta-feira em grande estilo na Assembleia de Goiás.

Ele usou a tribuna, no pequeno expediente, para defender os quase 800 voos que o ex-governador Alcides Rodrigues fez em caráter particular, segundo o Ministério Público e a Justiça estadual.

Gedda disse que Alcides tem fazenda em Rio Verde e no Pará e tinha que se deslocar para lá em aeronaves do Estado, com tudo pago pelo contribuinte.

Deputado disse que é hipocrisia reter os bens do ex-governador Alcides Rodrigues que, de acordo com jornais, teria utilizado aeronaves do Estado de Goiás para uso particular. De acordo com ele, o chefe do Executivo teria direito ao uso dos aviões até como garantia de segurança.

“Vi os jornais dizendo que o ex-governador Alcides Rodrigues teria feito uso indevido de aeronaves do governo. Fiz um levantamento que indica que o presidente dos EUA, por exemplo, teria estrutura para assegurar segurança à sua família. Discordo da decisão da Justiça sobre penhorar os bens de Alcides e sua mulher, Raquel. ele tinha fazenda no Pará e gastaria dois dias para ir e voltar. E teria de estar aqui rápido. Não defendo Alcides. Mas todos os governadores. É direito do governador ter avião para isso. Temos de parar com falsidade”, afirmou Gedda. (site da Assembleia)

Ele criticou o MP e a Justiça pelo bloqueio de quase R$ 4 milhões para ressarcir o erário pelas despesas.

Para Gedda, tudo isso ao passa de “hipocrisia”.

Ou seja: o deputado anda na contramão de toda a sociedade que exige controle dos gastos públicos e defende as mordomias para políticos.

Tem base?