Inédito: Prefeitura de Aparecida registrou em ata a presença de membros da quadrilha em reunião do seu Fundo de Pensão

Está é inédita: o relatório da Operação Miquéias, em que a Polícia Federal desbaratou uma quadrilha que desviava recursos de fundos de pensão municipais, revela que a presença de membros do esquema em uma reunião, na Prefeitura de Aparecida de Goiânia, foi registrada em ata.

Isso mesmo: é a primeira vez na história do Brasil que a ação de uma quadrilha é registrada em uma ata oficial.

No dia 29 de dezembro de 2012, o Fundo de Pensão dos Funcionários Municipais de Aparecida de Goiânia realizou uma reunião do seu conselho, quando seriam decididas as aplicações financeiras a serem efetivadas em 2013.

Uma reunião como essa tem de ser registrada com uma ata oficial. E isso foi feito. Mas quando a Polícia Federal foi conferir o documento, no curso das investigações sobre os investimentos em fundos podres feitos pela Prefeitura de Aparecida, deparou-se com a informação de que dois membros da quadrilha haviam participada e tiveram a presença anotada na ata.

Veja o trecho do relatório da Operação Miquéias que detalha esse fato inédito na história da corrupção no Brasil:

 

“ Na Ata de Reunião do dia 29 de dezembro de 2012, realizada com o intuito de confraternização dos membros do Conselho e deliberação sobre a política de investimentos do ano seguinte, consta a presença dos convidados ‘Dr. Cristiano e Sra. Fernanda’. Acredita-se que tais pessoas sejam, respectivamente, CRISTIANO SÁ FREIRE LEFREVE — o Superintendente do RPPS (Fundo de Pensão) de Catalão/GO, cidade próxima de Aparecida de Goiânia – e a ‘pastinha’ FERNANDA CARDOSO”.

 

Cristiano Sá Freire Lefreve administrou o fundo de pensão dos funcionários da Prefeitura de Catalão até dezembro de 2012, na gestão do PMDB, quando vultosos recursos foram retirados de aplicações seguras no Banco do Brasil e transferidos para papéis podres oferecidos pela quadrilha. Segundo a Polícia Federal, ele, Cristiano, prestava serviços ao bando criminoso visitando outras Prefeituras e levando instruções sobre como fazer as aplicações irregulares.