Entrevista com Jaime, na Tribuna, é bom jornalismo. Na semana passada, a de Vanderlan, no mesmo jornal, foi puro puxa-saquismo

O semanário Tribuna do Planalto, em duas edições consecutivas, publicou duas entrevistas com personalidades da política de Goiás que apresentaram grande diferença em matéria de qualidade jornalística.

Na semana passada, quatro jornalistas da Tribuna – Eduardo Sartorato, Filemon Pereira, Marcelo Tavares e Murillo Soares – produziram uma entrevista de duas páginas com o pré-candidato a governador do PSB, Vanderlan Cardoso, que não passou de “oba oba”, sem perguntas críticas e apenas levantando a bola para o empresário chutar a gol. Um tom geral de puxa-saquismo repassou o material.

Para que se tenha uma ideia, Vanderlan, que é candidato a governador, não foi perguntado pelos quatro jornalistas da Tribuna sobre as suas propostas para Goiás.

Nesta semana, foi a vez da Tribuna entrevista o presidente da Agetop e da Agecom, Jayme Rincon e aí a coisa mudou. Eduardo Sartorato e Vassil Oliveira fuzilaram Jayme com perguntas críticas e deram a ele a oportunidade de explicitar, um a um, os principais pontos da estratégia do governador Marconi Perillo para o final do seu Governo e para as eleições do ano que vem.

Jornalisticamente, a entrevista com Jayme é impecável. Quase tudo o que ele afirma é questionado, o que cria condições para boas frases, novas informações, raciocínio dinâmico e, no final de tudo, interesse e lucro para o leitor da longa reportagem.

Algo que, raramente, tem se visto na imprensa de Goiás ultimamente.