Juiz que “cassou” Jardel diz que rádio Sucesso foi ouvida por “dezenas de milhares de eleitores” no dia da eleição Ué, será que ele fez pesquisa?

O juiz Everton Pereira dos Santos “cassou” o mandato do prefeito Jardel Sebba aceitando os argumentos do PMDB de que a rádio Sucesso FM, que entrevistou o governador Marconi Perillo e o secretário de Ciência & Tecnologia, Mauro Faiad, no dia da eleição, é a emissora de maior audiência de Catalão e foi ouvida, naquela data, por “dezenas de milhares de eleitores”, mudando o resultado do pleito.

Para uma informação dessa natureza, é preciso ter base científica. Ou seja: é preciso uma pesquisa de audiência, que, em Goiás, só é feita pelo Ibope e pelo Serpes – institutos que nunca atuaram na medição de penetração de emissoras de rádio em Catalão.

Sendo ouvida por “dezenas de milhares de eleitores” no dia da eleição, segundo afirma o juiz, a rádio Sucesso FM mudou o resultado da eleição. Ou seja, de novo: o candidato Adib Elias, do PMDB, iria ganhar a eleição, mas, com “dezenas de milhares de eleitores” supostamente influenciados pela rádio Sucesso FM, a mesa virou e o vencedor foi Jardel Sebba, do PSDB – segundo o dr. Everton Pereira dos Santos.

Esse raciocínio, por mais absurdo e sem base em dados concretos que seja, é o fundamento principal da sentença que “cassou” Jardel e, 24 horas depois, foi revertida por um outro juiz de Catalão, que a considerou ofensiva para “a vontade popular”.

Segundo o juiz Everton Pereira dos Santos, sem nenhuma pesquisa, a rádio Sucesso FM tem “alcance indiscutível”, foi ouvida por “dezenas de milhares de eleitores” no dia da eleição e foi uma emissora “francamente ouvida pelos eleitores” naquele momento. Daí, as entrevistas com o governador e com o secretário de Ciência & Tecnologia teriam mudado a convicção do eleitorado de Catalão, que assim preferiu Jardel Sebba em detrimento de Adib Elias.

Tem cabimento? Tem lógica? Mas é o que o magistrado afirma na sua sentença.

A mesma sentença que foi revogada 24 horas depois.