Presidente do Cremego critica consultas-relâmpago nos Cais de Aparecida de Goiânia

Olha que absurdo: nos Cais de Aparecida de Goiânia, uma consulta médica dura até 30 segundos.

Dá para fazer um diagnóstico decente e receitar a melhor medicação num prazo tão curto?

Na opinião do presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremego), Erso Guimarães, não.

“Não dá nem para falar bom dia”, afirma Erso.

Veja a mini-entrevista que ele deu ao jornal O Popular neste domingo:

Existe alguma norma sobre tempo de consulta?

Não. Não tem uma normatização do Conselho sobre tempo mínimo. Defendemos apenas que o médico utilize o tempo necessário para fazer o atendimento completo. E isso depende do que o paciente está precisando.

Trinta segundos é tempo suficiente?

Analisando aqui, 30 segundos não dão nem para falar bom dia, boa tarde. Para uma consulta integral, claro que não é suficiente. Na Medicina, 30 segundos dá no máximo para repetir uma receita. Preste atenção, não é nem elaborar. É repetir para casos de pacientes em tratamento que precisam de uma nova guia para comprar o remédio, porque a que ele tem já venceu.

Em média, quanto tempo dura uma consulta?

Olha, o tempo médio de uma consulta é de 20 a 30 minutos, mas, repito, não existe norma.

Na sua avaliação, existe algo que justifique consultas de 30 segundos?

O Código de Ética é claro: o médico deverá atender no tempo necessário para fazer um atendimento completo, e em qualquer unidade ou setor. Não é porque é urgência e emergência que pode atender em tempo recorde. Às vezes, a falta de estrutura, sobrecarga de trabalho e ansiedade de pacientes, que já estão esperando por horas, faz com que o médico apresse o atendimento, mas o paciente, se sentir mal atendido, pode formular denúncia e protocolar no Cremego.