Sandro Mabel perde ação contra site que citou o seu nome em lista de parlamentares que respondem a processos judiciais

A 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás negou o pedido de indenização por danos morais formulado pelo ex-deputado Sandro Mabel contra o site de notícias Congresso em Foco. O relator do voto, o juiz substituto em 2º grau Delintro Belo de Almeida Filho considerou que não houve afronta à honra e à imagem do ex-deputado federal.

Conforme a assessoria de imprensa do TJ-GO, “na publicação pugnada, com o título ‘A lista dos parlamentares processados por partido’, havia o nome e a foto de Sandro, com menção a um processo judicial em tramitação na época, no qual ele era parte. Para o magistrado, tal informação não pode seri considerada abusiva”.

“De acordo com a Lei de Imprensa, não constituem abusos no exercício da liberdade de imprensa noticiar atos do Poder Legislativo, Executivo e Judiciário. A imprensa pode noticiar a decisão judicial, mesmo se o processo estiver sob segredo de Justiça, desde que não publique a sentença ou peculiaridades. O segredo de justiça preserva o conteúdo do material, e não a notícia do seu resultado”, destacou Delintro Filho.

O magistrado explicou, também, que haveria necessidade de indenizar o ex-deputado caso os fatos divulgados não fossem verídicos ou levassem os leitores a conclusões erradas. “O objetivo da imprensa deve ser o de informar e o de divulgar fatos, funcionando como disseminadora de cultura e divulgação séria e fidedigna dos acontecimentos”, frisou.

Dessa forma, o Tribunal de Justiça manteve, sem reformas, a sentença proferida em primeiro grau pela juíza em substituição na 1ª Vara Cível na comarca de Goiânia, Luciana Cristina Duarte dos Santos, que julgou extinto o feito contra a IG Internet e improcedente contra a Caracol Web Design, provedor que hospeda o site Congresso em Foco.