Silêncio diante do pacote fiscal de Marconi mostra mais uma vez que Goiás não tem oposição e, pior, que a oposição não tem propostas alternativas para nada

O Popular traz neste sábado um apanhado crítico do pacote de medidas fiscais anunciado nesta semana pelo governador Marconi Perillo para enquadrar ainda mais as finanças do governo do Estado.

Economistas e empresários foram ouvidos na reportagem e colocaram seus pontos de vista. Dentre os políticos, o único procurado pelo jornal foi o presidente da Assembleia, Hélio de Souza, do PSDB, que disse na coluna Giro o que se espera de um membro da base aliada do governador: as medidas são duras, mas necessárias.

Mas… cadê a opinião dos oposicionistas goianos? Gente como o deputado estadual José Nelto ou o deputado federal Daniel Vilela ou o senador Ronaldo Caiado ou quem quer que seja da oposição? Não, O Popular não se interessou em ouvir ninguém, talvez ciente da pouca ou nenhuma contribuição que eles teriam a dar sobre o debate em torno do pacote fiscal.

A oposição em Goiás, mais uma vez, se confirma como um deserto de ideias. Não tem atuação, não denuncia, não propõe CPIs, não consegue formular uma crítica consistente às ações do governo do Estado e nem sequer é capaz de apresentar projetos alternativos – tudo coisa banal para qualquer oposição em qualquer parte do mundo.

Menos em Goiás.

[vejatambem artigos=” 58702,58700,58467,58386 “]