Paulinho da AGM, Thiago Peixoto e José Eliton: esses 3 defenderam publicamente Marconi das acusações dos delatores da Odebrecht. O resto da base aliada e o secretariado se calaram

Mais de 10 dias depois da divulgação das delações da Odebrecht, em que dois ex-executivos da empreiteira fizeram acusações de caixa 2 ao governador Marconi Perillo, apenas o presidente da Associação Goiana dos Municípios, Paulo Sérgio de Rezende, o deputado federal Thiago Peixoto, do PSD, e o vice-governador José Eliton saíram a público para defender o líder máximo dos tucanos em Goiás.

Ninguém do secretariado do governo do Estado deu um pio a favor de Marconi. Nenhum outro deputado federal além de Thiago Peixoto. Alguns deputados estaduais estiveram em uma reunião de “solidariedade” ao governador, mas, após o encontro, só se teve conhecimento de declarações do próprio Marconi rebatendo as acusações.

Nem mesmo os presidentes estadual e metropolitano do PSDB (mais importante partido da base aliada governista) mostraram a cara para defender o governador. Giuseppe Vecci e Rafael Lousa simplesmente desapareceram depois que as delações foram divulgadas.