Daniel Vilela é exemplo raro de político jovem, promissor e em início de carreira que é colhido pelo envolvimento em um escândalo de grandes dimensões

Não é todo dia que se vê um político em início de carreira, jovem e promissor, envolvido em um escândalo de dimensões colossais como a vasta distribuição de propinas promovida pela Odebrecht.

Mas, às vezes, acontece. E o deputado federal Daniel Vilela, do PMDB, é o surpreendente protagonista do inusitado espetáculo midiático da videoteca dos ex-executivos da empreiteira, relatando o pagamento de bilhões de propinas – dos quais uma parte coube a Danel Vilela e ao seu pai, o ex-prefeito de Aparecida, Maguito Vilela.

Ambos alegam inocência, mas, como diz a jornalista Fabiana Pulcineli, diante da riqueza de detalhes apresentados pelos delatores, “fica difícil não acreditar”.

A carreira política de Daniel Vilela acabou? Ninguém tem essa resposta, nem ele mesmo, porém é óbvio que uma nódoa poderosa passa de agora em diante a macular a biografia do moçoilo Vilela. Principalmente porque eles quis caracterizar a sua ação política pela defesa intransigente da honestidade e da ética. Que ele, segundo os ex-executivos da Odebrecht