Sem papas na língua Santa Cruz diz no DM que só José Eliton e Thiago Peixoto defenderam Marconi das delações da Odebrecht: “O resto do governo se acoelhou”

O polêmico e incendiário Carlos Alberto Santa Cruz, um dos jornalistas mais experientes e de melhor texto da imprensa goiana, volta a jogar gasolina fogueira da política estadual com novo artigo na edição desta terça-feira do Diário da Manhã.

Entre outros assuntos, Santa Cruz fala do silêncio com que a base do governador Marconi Perillo recebeu as delações da Odebrecht: “Aqui em Go­i­ás meia dú­zia de po­lí­ti­cos fo­ram ci­ta­dos pe­los de­la­to­res, e o mais im­por­tan­te é o go­ver­na­dor Mar­co­ni Pe­ril­lo que quer sa­ber o te­or das de­la­ções pa­ra se po­si­cio­nar, mas já adi­an­tou que não te­m na­da a te­mer”, escreve, ao lembrar que poucos foram os aliados que defenderam o tucano-chefe.

“O go­ver­no do Es­ta­do man­tém de­ze­nas de jor­na­lis­tas, teú­dos e man­teú­dos, mas nin­guém apa­re­ce nes­sas ho­ras. Uns, por­que não sa­bem es­cre­ver, ou­tros por fal­ta de co­ra­gem e mui­tos por­que cons­pi­ram con­tra”, fuzila Santa Cruz. Ele ressalta, porém, que “Mar­co­ni con­tou com so­li­da­ri­e­da­de do vi­ce Jo­sé Eli­ton e do de­pu­ta­do Thi­a­go Pei­xo­to. O res­to do seu go­ver­no se aco­e­lhou”, frisa.