Clécio: “22 prostitutas não se reelegeram porque votaram a favor do aumento de IPTU”

O vereador Clécio Alves (PMDB) chamou os 22 vereadores da legislatura passada que não conseguiram de reeleger de “prostitutas” e atribuiu o insucesso deles ao apoio que hipotecaram às reiteradas propostas de aumento de IPTU que o então prefeito Paulo Garcia (PT) enviou à Câmara. Clécio generalizou incluindo no bolo até ex-vereadores que votaram contra os reajustes, como Pedro Azulinho (PSB) e Geovani Antônio (PSDB).

“Muitos dos que hoje estão aqui foram verdadeiras prostitutas da gestão anterior. Prostituíram-se por cargos para votar este IPTU maldito. Fui para oposição porque não me prostituo por cargo, mas quem o fez teve de pagar a conta. E o preço foram 22 cabeças. 22 prostitutas tiveram a cabeça cortada”, afirmou Clécio.

Apesar da contundência do seu discurso, é importante lembrar que Clécio foi aliado de primeira hora do ex-prefeito Paulo até a véspera da eleição de 2016, quando o então candidato Iris Rezende deu a ordem para que o partido rompesse com o PT.

Confira o nome dos vereadores que não se reelegeram:

Célia Valadão (PMDB)
Mizair Lemes Júnior (PMDB)
Denício Trindade (SD)
Jorge do Hugo (PSL)
Bernardo do Cais (PSC)
Paulo da Farmácia (PSDC)
Divino Rodrigues (Pros)
Edson Automóveis (PMN)
Geovani Antônio (PSDB)
Pedro Azulinho (PSB)
Carlos Soares (PT)
Fábio Caixeta (PSD)
Richard Nixon (PRTB)
Eudes Vigor (na época, PMDB)
Antônio Uchôa (PSL)
Dr. Gian (PSB)
Fábio Lima (PRTB)

  • Paulo Borges, Djalma Araújo, Thiago Albernaz, Cida Garcez e Deivison Costa não disputaram a reeleição.