Morte não repara danos: vereadora diz que família de Paulo Garcia terá de pagar por eventuais atos ilícitos

A vereadora Priscilla Tejota (PSD), presidente da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Câmara Municipal que analisa suspeitas de irregularidades nas contas públicas nos últimos nove anos, afirma que eventuais ilícitos praticados pelo ex-prefeito Paulo Garcia (PT), morto há quase dois meses, terão de ser pagos pela família do petista.

O relatório da chamada CEI da Herança será entregue ao presidente da Câmara, vereador Jorge Kajuru (PRP), na próxima sexta-feira. Veja o que diz Priscilla: “O relatório da CEI deverá apontar várias irregularidades e denúncias de improbidade administrativa cometidas na gestão do PT, como doação irregular de várias áreas públicas. Se comprovadas as suspeitas, os bens da família do ex-prefeito podem até ser bloqueados”.