Kajuru exige demissão imediata de assessor de Dona Iris que, segundo ele, é pago para atacar Câmara

Em função do enterro da mãe do vereador Felisberto Tavares (PR), a sessão desta quarta-feira na Câmara Municipal foi curta e pautada por um único assunto: o insistente ataque de um assessor da primeira-dama de Goiânia, Dona Iris (PMDB), contra vereadores que resistem ao aumento de impostos na Capital. Único a subir na tribuna nesta sessão, Kajuru pediu a demissão imediata do rapaz, que atende pelo nome de Rodrigo Prado.

“Este jagunço, assessor de contador da primeira-dama, escreve constantemente nos atacando de forma desrespeitosa. A mim, a Lucas Kitão, a Elias Vaz, a Dra. Cristina, a Priscilla Tejota e a Sabrina Garcêz. É um escândalo a prefeitura usar dinheiro público para alguém alguém cujo trabalho é atacar”, afirmou Kajuru, que o chamou também de “jagunço de chumbrega”.

Rodrigo Prado é um pobre coitado que segura microfone para Cloves Reges Maia esculhambar adversários do prefeito Iris Rezende (PMDB). Recebe salário de R$ 3.618 e está lotado na Secretaria de Comunicação. O seu decreto de nomeação, datado em 17 de março de 2017, está logo abaixo.

Sobre Dona Iris, Kajuru afirmou: “Sua soberba vai te levar à ruína. Seu único deus é o poder. A senhora jamais alcançará a altura de outras primeiras-damas como Maria Valadão e Gercina Borges, porque faz parte da escumalha política deste estado e deste país”. Infelizmente, é provável que tanto Dona Iris, quanto Rodrigo desconheçam a maior parte das palavras que o vereador usou para se referir a eles.

Abaixo, o decreto:

[vejatambem artigos=” 65264 “]