Em primeira entrevista após prisão, Cunha diz que Moro destruiu elite política do Brasil

À revista Época desta semana, em sua primeira entrevista desde que foi preso, há quase um ano, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirma que o juiz federal Sérgio Moro se considera “salvador da pátria” e que o objetivo dele, com a operação Lava Jato, era reproduzir no Brasil a operação Mãos Limpas, famosa na Itália, e destruir a elite política do País – o que ele conseguiu, na opinião de Cunha.

“Nós temos um juiz que se acha salvador da pátria. Ele quis montar uma operação Mãos Limpas no Brasil – uma operação com objetivo político. Queria destruir o establishment, a elite política. E conseguiu”, afirmou.Na opinião dele, o juiz trata a sua prisão como um troféu.

“Minha prisão foi absurda. Não me prenderam de acordo com a lei, para investigar ou porque estivesse embaraçando os processos. Prenderam para ter um troféu político. O outro troféu é o Lula. Um troféu para cada lado. O MP e o Moro queriam ter um troféu político dos dois lados. Como Janot já era meu inimigo, todos da Lava Jato estavam atrás de mim. Mas acredito que o Supremo vá julgar meu habeas corpus, parado desde junho, e, ao seguir o entendimento já firmado na Corte, concedê-lo.”